5 de ago de 2008

Criança é criança e merece ser tratada como tal.

Todas as manhãs de sábado a linda Maisa conduz o programa infantil " Sábado Animado " no SBT. É uma graça de menina de 6 anos, super espontânea, comanda o programa de forma muito engraçada. Porém, não sou a favor de crianças prodígios na televisão. Tenho dois filhos, um menino que fará 5 anos em setembro e uma menina de 3 anos e meio, e não consigo imaginar meus filhos 'trabalhando' com essa idade. Não acredito que criança leve isso como diversão. Brincadeiras de crianças têm regras sim, e as brincadeiras devem ser instrutivas e supervisionadas. Mas, essa menina não está brincando. Está sendo manipulada a ser engraçada, divertida, conduzir jogos , e o pior de tudo dançar músicas de adultos.
Um dia desses eu assistia com meus filhos o programa e fiquei horrorizada com a menina dançando uma música da Ivete Sangalo. Adoro a Ivete, adoro a música. Agora uma crianças de 6 anos dançar de forma 'escandalosa' uma música que fala de amor, sexo e demais assuntos de maiores, eu acho o fim. Não sou nenhuma puritana, longe disso. Só acredito que toda essa valorização de crianças prodígios não é saudável pra criança ( para os pais é, isso rende $$$$) e pras demais que a assintem. Eu adorava o programa Balão Mágico, com a Simoni e o Jairzinho e outros que não lembro o nome. Era um programa fantástico e super lúdico. Mesmo assim o que aconteceu com a Simoni? A fama prejudicou? Evidente que sim. Já o Jarzinho tinha uma ótima base familiar e não fez aquele programa com único intuito financeiro, isso eu acredito.
Enfim, mesmo com a ótima forma de conduzir o Balão Mágico, lembro até hoje de uma música do grupo que falava sobre namorado na sala de aula e coisas do gênero. E lembro que essa música ficava na minha cabeça o dia todo, cantava pro menino da minha sala que não me dava bola e com 8 anos de idade eu sofria por amor. Dá um tempo!!!!! E minha mãe não via maldade nisso?
Mas eu vejo, criança é criança. Não precisa trabalhar, não precisa namorar, não precisa sofrer...
Porque a gente cresce, trabalha, ama, sofre por vários tipos de amores e isso até o fim de nossas vidas.
Será que quando crianças podemos viver sem responsabilidades, sem amores bobos, sem danças chucras, sem expor nosso corpo, sem vulgaridades? Será que nessa curta fase de nossas vidas podemos apenas aproveitar a vida, sem psicólogos, terapias, relaxantes musculares e demais estragos da vida de adulto?
Os meus filhos sim, e os seus?
Cris , mãe que não vende seus filhos!

Nenhum comentário: