11 de nov de 2008

A viagem

Saímos logo depois do trabalho pra SP, mas eu só coloquei meus pés dentro do quarto do hotel as 2 da madrugada de sábado. Estava cansada, precisando de um banho. Ainda bem que o chuveiro era uma delícia.
Depois de dormir 5 horas tomo meu café da manhã e vamos ao ponto de encontro para nossa excursão na 25 de março, porque turista que é turista não pode perder a visita no paraiso da muamba. Chegamos lá 10 horas da manhã e nos deparamos com a filia do inferno. As ladeiras pareciam mar de gente, e eu já cheguei sem paciência pra nada. Entramos em uma loja de bijuterias, uma de bolsas e depois em uma loja de decoração para casa e foi onde compramos alguma coisa. Não tinha condições de ver nada, não dava pra se mover em lugar nenhum. Não dava nem pra sair daquele lugar. Acho que as pessoas tem que se organizar mais, fazendo vias de mão dupla na calçada.
Acabamos indo a pé até a Rua José Paulino, pois um taxi ia ser mais difícil que ganhar na mega sena. Tá certo que era pertinho. Passamos em frente ao Museu da Lingua Portuguesa e da Pinacoteca, eu devia ter trocado as compras e ficado nos dois. A José Paulino não era nada diferente da 25 de março. Uma gentarada sem fim. E as roupas nem são mais tão baratas como antigamente. Preferi nem comprar nada, já quem nem experimentar não pode. Pago 5 reais mais caro aqui em Curitiba e ainda provo a roupa. Só sei que saimos desse lugar já era quase 16 horas e sem comer.
Fomos comer no Outback, que momento feliz. E o thunder que delícia!!! Ainda sai de lá toda contente, pois eu pedi e a moça me deu, para levar um pão bem gostoso. É um pão preto com mel, não sei explicar exatamente.
Chegamos no hotel e foi só o tempo de tomar banho e sair, pois o show da Kylie começaria as 22. Nem pude levantar as pernas. Também não deu tempo de secar o cabelo. Lá fui eu de coque.
O show foi ótimo. A Kylie ganhou todos os troféus simpatia possíveis. Super fofa interagiu com a platéia e ainda cantou músicas que não estavam no set list de tanto que o povo pedia. Ela se despediu dizendo esperar voltar em breve. Eu também espero. E com certeza vou de novo!
A gente queria sair depois do show, mas estava todo mundo morto. Em poucos minutos eu estava dormindo.
Domingo e fiz o check out e dei uma passada (de 2 horas) na Etna, a loja que a Cris me recomendou de casa. Endoideci!!! Farei até um post separado sobre isso, com fotos.
Fomos no América da Paulista almoçar.
E já tivemos que voltar para Curitiba. Faltaram muitas horas para fazer tudo. Nem consegui visitar a Cris. Ela nem me ama mais como antigamente. Amiga feia eu!
Aninha

Um comentário:

Simo disse...

Anna, um dia fui enganada com uma viagem pra sampa. Me disseram: Vamos ao museu da Língua Portuguesa! Eu enlouqueci, neh... Parecia a velha Simone do tempo da escola!! Empolgadérrima... saímos quase 23 horas daqui de curita, chegamos de madruigada em sao paulo e paramos numa feira da madrugada... coisa louca um monte de quinquilharía... claro que eu não aproveitie nada, afinal, quinquilharía pra gordo nunca tem!!! hauahua
Depois fomos ao municipal, foi bom.. comi os ditos patéis tão famosos da área e aquele MARAVILHOSO sanduíche de mortadela!!!
Aí fizeram a desgraça, me enfiaram na 25.... Se vc nao conseguia se mexer, imagina eu com meu 120 kilos!!! Sei que depois de muito circular ainda pegamos ometro e fomos ao museu, já no fim do dia, mortos de caseira e aproveitamos metade do que se podia aproveitar! O museu!? Uma graça, vale a pena, mas vá descansada, pra aproveitar mais! :)